O que é o CIR na gravidez? Causas e consequências

O que é o CIR na gravidez?

O que é o CIRC? É provável que essas siglas não lhe pareçam familiares, mas a condição médica a que se referem: crescimento intra-uterino retardado. Isso ocorre quando o feto não atinge o peso e o tamanho esperados para sua idade gestacional. Um problema com diferentes causas e consequências que estamos analisando hoje.

O crescimento intrauterino retardado afeta aproximadamente 10% das gestações e pode ter implicações significativas para a saúde do bebê e da mãe. Detectá-lo e abordá-lo de forma eficaz é a chave para aliviar as consequências.

As causas

Na maioria dos casos, a CIR aparece quando o bebê não recebendo nutrientes suficientes e oxigênio através da placenta. Pode manifestar-se a partir da 20ª semana de gravidez, no entanto não costuma ser diagnosticada até às últimas fases da gravidez.

Acompanhamento na gravidez

As causas de crescimento intrauterino retardado são diversas e incluem doenças maternas, fatores genéticos, insuficiência placentária, malformações fetais ou uso de tabaco ou álcool. Conheça abaixo os mais comuns:

  • problemas de placenta: A placenta é responsável por fornecer nutrientes e oxigênio ao feto. Quando isso não funciona adequadamente, pode causar restrição do crescimento fetal.
  • Hipertensão materna ou pré-eclâmpsia: Um pressão arterial alta na mãe, pode impedir a circulação sanguínea adequada do feto, o que também pode levar a um crescimento deficiente.
  • Diabetes materno: O diabetes não controlado durante a gravidez pode afetar o crescimento fetal, aumentando os níveis de glicose no sangue, o que pode influenciar o desenvolvimento adequado do feto.
  • Anomalias congénitas: Algumas anomalias genéticas ou malformações do feto também podem ser responsáveis ​​pelo retardo do crescimento intrauterino.
  • Uso de álcool, tabaco ou drogas: O consumo dessas substâncias durante a gravidez pode ter efeitos negativos no desenvolvimento fetal.
  • Infecções maternas: Algumas infecções como toxoplasmose, rubéola ou citomegalovírus podem afetar o desenvolvimento do feto e, portanto, causar CIR.
  • Fatores socioeconômicos: A falta de acesso a cuidados médicos adequados, dieta inadequada, má qualidade de vida ou condições socioeconômicas desfavoráveis ​​podem, sem dúvida, aumentar o risco de CIR.

Dadas as evidências de que esse problema existe, é essencial fazer uma avaliação médica completa para determinar a causa específica e, assim, receber o tratamento adequado para aliviar as consequências.

As consequências

As consequências da CIR podem ser significativas tanto a curto como a longo prazo. Mulheres grávidas que experimentam CIR podem estar em maior risco de complicações durante o parto. E também desenvolver doenças cardiovasculares crônicas ou diabetes tipo 2 e complicações em gestações subsequentes.

E os bebês? bebês afetados Eles podem ter baixo peso ao nascer, massa muscular e gordura reduzidas. Mas também atrasou o desenvolvimento neurológico, problemas respiratórios, hipoglicemia e aumento do risco de doenças crônicas na idade adulta, como doenças cardiovasculares e diabetes.

Tratamento

É fundamental que os profissionais estejam atentos e realizem uma acompanhamento regular do crescimento fetal Durante a gravidez. Isso permitirá detectar a CIR e implementar medidas adequadas para monitorar e tratar essa condição, garantindo a saúde do bebê e da mãe.

Em casos mais moderados, descanse bastante, evite atividades extenuantes e situações estressantes e manter uma dieta balanceada e saudável para favorecer o crescimento do feto será fundamental. Também pode ser necessário prescrever suplementos nutricionais à mãe para melhorar as condições do feto.


Se o CIR for devido a uma doença como hipertensão ou diabetes, é importante controlar essas condições durante a gravidez para reduzir o risco de complicações e apoiar o crescimento fetal. Da mesma forma, se forem detectados problemas na placenta, como insuficiência placentária ou descolamento prematuro da placenta, um tratamento específico para resolver esses problemas e melhorar o crescimento fetal.

Tratamento para CIR deve ser individualizado de acordo com o caso e supervisionado por um médico especialista em obstetrícia e ginecologia. Além disso, é necessário que a mãe siga as indicações e recomendações médicas para garantir o melhor resultado para ela e para o feto.


Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

  1. Responsável pelos dados: Miguel Ángel Gatón
  2. Finalidade dos dados: Controle de SPAM, gerenciamento de comentários.
  3. Legitimação: Seu consentimento
  4. Comunicação de dados: Os dados não serão comunicados a terceiros, exceto por obrigação legal.
  5. Armazenamento de dados: banco de dados hospedado pela Occentus Networks (UE)
  6. Direitos: A qualquer momento você pode limitar, recuperar e excluir suas informações.